domingo, 24 de outubro de 2010

Linha de Passe

Linha de Passe é um filme brasileiro de 2008 dirigido por Walter Salles e Daniela Thomas. Assim como acontece em outras produções do diretor como Terra Estrangeira e Central do Brasil, em Linha de Passe é retratada novamente uma temática muito próxima da realidade do brasileiro comum. Não há qualquer tipo de tentativa de mitificação ou romantização, nem de uma dramatização exagerada de uma determinada situação ou personagem. Todos vivem as dificuldades que pessoas reais de uma classe social mais baixa poderiam viver. Talvez esse seja o maior encanto desse filme. Um filme focado mais do que tudo em seus personagens.





Acompanhamos durante a trama a história de uma família paulistana de classe baixa composta por uma mulher grávida e seus quatro filhos que buscam incessantemente correrem atrás de seus sonhos para poderem ter um futuro melhor. Do início ao fim acompanhamos suas trajetórias e torcemos para que todos tenham um final feliz. Não há a presença de uma pai ou de uma figura masculina, o que afeta especialmente o caçula da família, Reginaldo. O personagem que Kaíque Jesus Santos interpreta com grande intensidade, busca no sonho de se tornar motorista uma maneira de tentar reencontrar seu pai, já que não se sente completamente bem no convívio com a mãe e os meio-irmãos. Para isso não hesita em passar horas até mesmo de madrugada andando em ônibus pela cidade inteira sem a preocupação de agradar ninguém.




João Baldasseri é Dênis, filho mais velho que tem que cuidar de um filho gerado acidentalmente que vive com a mãe. Para sustentá-lo, o rapaz de caráter duvidoso faz de tudo para conseguir dinheiro, mesmo que com métodos não tão honestos assim. Dinho, vivido por José Geraldo Rodrigues, trabalha em um posto de gasolina e enxerga em sua fé uma oportunidade de se sentir melhor e de acreditar em um mundo mais justo. Para comprovar isso, ele dispensa até mesmo o dinheiro oferecido pelo pastor de sua igreja, apesar de seus problemas financeiros. José é autêntico e seu personagem não hesita em chamar a atenção e justificar na falta de fé da mãe a ocorrência de tantas “desgraças”. A religião é retratada no filme de maneira respeitosa (apesar do padre não se mostrar tão respeitoso assim em alguns momentos com seus fiéis) como uma manifestação popular que consegue aproximar os mais variados tipos de pessoas.



Nesse mesmo patamar está o futebol. Na montagem do filme, os diretores equiparam as duas atividades às mãos erguidas ao céu pelos personagens. Vinicius de Oliveira leva a seu personagem Dario grande naturalidade e insegurança típica de um adolescente, especialmente ao seu futuro: ele pretende ser um jogador de futebol, mas já está com 18 anos e sem clube. Para isso, ele participa constantemente de peneiras para selecionar jogadores, mas também sente falta de uma ajuda financeira (a falta de dinheiro é um problema recorrente para todos) para levá-lo a um time. Mas assim, como a inconstante carreira de jogador, ele também passa por maus bocados, como na ocasião em que chega drogado depois de uma festa.



Por fim, a mãe de todos eles, a empregada doméstica Cleuza, vivida por Sandra Corveloni que foi premiada por sua atuação no Festival de Cannes, é uma mulher guerreira, batalhadora, apaixonada pelos filhos e busca o tempo inteiro o melhor para eles (nem que para isso seja preciso bater em algum deles ou dar uma bronca pesada). Sandra expressa extremamente bem as dificuldades que Cleuza passa a ter que criar quatro filhos e esperar mais um na barriga. Por conta da gravidez também se torna freqüente as queixas e brigas com sua patroa. Mas ela também encontra no futebol sua válvula de escape. Enquanto assiste aos jogos do Corinthians no estádio, ela foge da sua dura realidade e pode finalmente ter um momento de prazer.




O filme em diversos momentos possui um tom bem documental e sabe entrelaçar as histórias de todos os personagens de maneira clara e inteligente. A narrativa retrata a vida de seus personagens de maneira incompleta, não há um final e nem uma grande realização de algum deles durante a produção. Mas sim há a luta incessante em busca de um sonho e de uma vida mais digna, com os mesmos elementos presentes na vida real de qualquer pessoa. E é essa espontaneidade e essa simplicidade que faz com que Linha de Passe seja um filme belíssimo de ser assistido.

Confira o trailer:

3 comentários:

Hugo disse...

O único problema do longa é mostrar situações difíceis do quatro irmãos e da mãe ao mesmo tempo. Mas por outro lado é um retrato triste da vida de uma família num bairro pobre de SP.

Até mais

Helena Costa disse...

Desculpe pelo comentário off-topic, mas a causa é boa:
Acontece amanhã, 8 de novembro, em toda a Rede Cinermark (428 salas dos 52 complexos) o XI Projeta Brasil Cinemark que exibirá as principais produções brasileiras lançadas entre novembro de 2009 e outubro de 2010. Os espectadores poderão assistir a filmes nacionais por apenas R$ 2. Entre os longas-metragens do XI Projeta Brasil estão títulos como ‘Tropa de elite 2’, ‘Nosso Lar’, ‘Chico Xavier’, ‘Sonhos Roubados’, ‘Xuxa em O Mistério de Feiurinha’ e ‘É proibido Fumar’. Ao todo, mais de 30 filmes estarão disponíveis para o espectador. A programação completa e demais informações você encontra no site do Projeta Brasil: http://www.cinemark.com.br/acao/projetabrasil.html. O vídeo está disponível para link ou download no YouTube: http://migre.me/23oOA

Anônimo disse...

me encanto la pelicula. muy muy buenaaa

Postar um comentário