sexta-feira, 7 de maio de 2010

Um vilão pedófilo e um filme psicodélico


Freddy retorna às telonas mais agressivo e, acredite, pedófilo

Freddy Krueger retorna com a difícil missão de conquistar o antigo prestigio que fora perdido ao longo dos anos. Depois de várias continuações (muitas delas frustrantes, como em “Freddy Vs. Jason”, de 2003) o oitavo filme da série tem a direção de um dos grandes nomes da década de 90 quando o assunto é videoclipe: Samuel Bayer, diretor de “Smells like teen spirit”, do Nirvana e “Bullet with the butterfly wings” do Smashing Pumpkins, entre outros.

O reboot do clássico de 1984 é uma versão repaginada do original para uma nova geração. Mesmo assim muitos takes de “A hora do pesadelo” são idênticos ao primeiro filme. Freddy Krueger está mais agressivo e sua aparência um pouco mais “deformada” se comparado com o longa de 84, e um ponto que chama a atenção e vem ganhando destaque nas criticas sobre o filme é o fato do personagem ser pedófilo. Isso foi duramente criticado, pois o principal público do primeiro filme eram justamente os jovens e crianças. Apesar disso, “A hora do pesadelo” liderou as bilheterias americanas na sua estréia semana passada.



Um mundo em que o visual supera a história

"O mundo imaginário do Dr. Parnassus", último filme de Heath Ledger morto em 2008, nada mais é que um grande espetáculo visual. O roteiro é mediano e o fato de Ledger (que foi substituído nas cenas finais por Johnny Depp, Jude Law e Colin Farrell revezando o papel) ter falecido no meio das filmagens acabou atrapalhando um pouco mais a trama, que parece perder fôlego conforme se desenvolve. Vale a pena para os fãs do de Ledger, que recebe uma singela homenagem nos créditos finais.

3 comentários:

Marcia Freddy. disse...

Olá!

O Cine Europeu agora é Foco Analítico - www.focoanalitico.tk

conto com a sua visita!

Abraços!!

Nekas disse...

Eu, sinceramente, quero ver este reboot mas pelo trailer já encontro cenas que vi no primeiro capítulo de 1984...

Abraço
Cinema as my World

Anônimo disse...

e ser apenas assassino e não pedófilo faz alguma diferença? crime é crime parceiro!!!!!

Postar um comentário