quinta-feira, 11 de março de 2010

A popularização da tecnologia 3D


O filme Avatar trouxe de volta a popularização das salas de cinema 3D. Desde então, a experiência de assistir filmes em três dimensões com os óculos especiais e a tela com a tecnologia IMAX (essa tecnologia é constituída de uma tela bem maior do que as convencionais com um design especial que faz com que as imagens pareçam reais e estejam bem mais próximas do espectador, sistema de som bem mais potente e confortável ambiente) vem valorizando cada vez mais a imagem e a tecnologia avançada dos grandes estúdios. Para o espectador a diversão aumenta. Para os grandes estúdios, os lucros com a bilheteria se tornam ainda maiores, já que os ingressos são mais caros. De acordo com a Motion Picture Association of America (MPAA), o lançamento de 20 filmes em 3D aumentou em 8% a arrecadação mundial da indústria do cinema com um total de US$ 29,9 bilhões. Na América Latina, ainda há poucas salas para a exibição desses filmes. Mas isso deve ser um estímulo a mais para a produção cada vez maior de filmes em 3D, que incluem aí vários relançamentos e continuações.



Filmes que já obtiveram grande sucesso estão voltando aos cinemas com a tecnologia em 3D. Estão incluídos aí os relançamentos de Toy Story 1 e 2. Alvin e os Esquilos também está cotado e surgiram boatos de que até mesmo O Mágico de Oz de 1939 possa voltar agora com a avançada tecnologia. Neste fim de semana, estreou Alice de Tim Burton. Para este ano, serão lançados Harry Potter e as Relíquias da Morte, Toy Story 3, Homem de Ferro 2, Fúria de Titãs e Eclipse (continuação da série Crepúsculo). Como o próprio 3D se tornou um espetáculo, cada um desses filmes ficará em cartaz como única opção das salas IMAX por certo período de tempo, o que de certa forma “obrigará” o espectador a assistir àquele filme. Para 2011, já estão previstas mais 25 produções em 3 dimensões.



                O fato é que essa enxurrada de filmes em 3D me preocupa um pouco. Isso por conta de cada vez menos produções originais que chegarão ao mercado. Mais preocupadas com o dinheiro que arrecadarão, as grandes produtoras podem dedicar pouco (ou nenhum) esforço para a produção de histórias inovadoras e criativas. Outra possibilidade é de que mais filmes de qualidade inferior poderão chegar ao mercado e se popularizar muito mais facilmente do que filmes com mais qualidade, já que estarão preocupados muito mais com a imagem em si do que com todo o resto. Cito o exemplo do filme Premonição 4. Essa produção duvidosa arrecadou nos primeiros três dias de estréia US$ 28,8 milhões, deixando para trás o bom Bastardo Inglórios com US$ 20 milhões ganhos no mesmo período. Gosto da tecnologia em 3D desde que ele mantenha a qualidade do cinema tradicional. Para mim, mais importante do que conquistar o espectador com imagens e grande tecnologia é conquistá-lo com um grande roteiro, atuações e aspectos técnicos admiráveis. Vamos torcer para que as grandes produtoras e, principalmente os espectadores, também não se esqueçam disso.


Fontes: 
http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u704767.shtml

 http://idgnow.uol.com.br/computacao_pessoal/999/12/31/telas-gigantes-imax-trazem-ao-cinema-uma-experiencia-inovadora/

http://cinemacomrapadura.com.br/noticias/76500/top-10-eua-premonicao-4-lidera-bilheterias/

http://veja.abril.com.br/noticia/variedades/filmes-3d-impulsionam-arredacao-cinemas-2009-539584.shtml

http://cinema.terra.com.br/interna/0,,OI4309852-EI1176,00.html
 

E você o que acha da proliferação em massa da tecnologia 3D?

4 comentários:

Nekas disse...

A tecnologia a reter agora no futuro é o 3D e nem é pelo seu melhoramento pois não considero este significante mas pelos lucros e pela não-possível pirataria perante este formato.
As editoras encontraram como evitar a pirataria!

Abraço
Cinema as my World

Silvia Freitas disse...

Não temos como negar que estamos em plena febre de 3D. Agora todas as produtoras querem lançar algo nesse sentido. De fato, o 3D é lindo, Avatar me deixou maravilhada. Mas o que vc falou sobre só se preocupar com a imagem e esquecer o conteúdo, de fato, é preocupante.

Fernando disse...

É uma boa reflexão mesmo. Essa febre como se percebe na foto branco e preto de longe chega ser novidade, ou então revolução como muitos dizem por aí, o fato é que parece que estamos vivendo em uma época de crise de boas histórias e por isso, os investimentos em 3D para não perder bilheteria.

bruno knott disse...

Realmente...
O próprio Alice parece ser um filme excelente em termos visuais, mas com um roteiro falho.

E mesmo assim fez e vai continuar fazendo muita grana.

É um assunto que rende bastante.

Abs.

Postar um comentário