terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

"A Órfã"



Existem filmes que te deixam com uma grande expectativa para o seu lançamento. Seja correndo atrás do bilhete para a pré-estréia, na busca incessante pelo DVD nas videolocadoras ou até mesmo na compra do filme para aumentar a coleção, esses filmes fazem você chamar a família inteira para assistir a suposta “obra de arte”, que no final acaba sendo uma grande bomba. Hoje iniciamos uma nova seção no blog., destinado a dar conselhos para que você não acabe frustrado vendo um filme ruim. Aqui mostraremos aqueles que não devem ser vistos.

“A Órfã” tem todos os ingredientes para um bom filme de suspense. Uma criança adotada com características estranhas, um casal que sofre com a perda de sua filha no momento do parto e uma série de acontecimentos que vem à tona dão o tom do longa. A utilização de crianças em filmes de terror/suspense não é nenhuma novidade, “Polterigeist” e “O Exorcista” são prova disso. “A Órfã” poderia figurar nessa lista de bons filmes, mas infelizmente isso não ocorre.

Os primeiros 30/40 minutos de exibição podem ser maçantes para alguns. Esses instantes iniciais mostram o porquê dos Coleman estarem à procura de uma nova filha e são apresentados os seus problemas dentro de casa. A cena inicial foi muito bem feita, angustiante, diga-se de passagem (talvez a única também!). O encontro no orfanato com a jovem Esther parece o prenuncio de um novo futuro para o casal, que ocorreria caso a garota não mudasse de forma gritante toda a casa, colocando até mesmo Kate (mãe) contra o seu próprio marido.

O grande problema do longa não é a história, e sim alguns clichês que comprometeram o filme. A mãe que ninguém acredita, que tenta mostrar que a “nova filha” é um “monstro” (não, ela não é um alien) mas todos à ignoram, as crianças amedrontadas, o pai negligente, tudo isso faz com que o sentimento de raiva seja trocado pelo suspense do filme. Se não quer ficar irritado, procure outro vídeo. 

Trailer:

3 comentários:

Kahlil Affonso disse...

Muitos criticaram este filme por praticamente copiar filmes dos anos 80 que abordavam exatamente o mesmo tema. Eu, como não vi nenhum destes outros filmes, fiquei bastante surpreso com a reviravolta final. Apesar dos clichês o elenco do filme está de parabéns!

http://cinemaemdvd.blogspot.com/

Rob Seixas disse...

É o típico filme que você já viu antes, só que com outro nome. Há muita coisa parecida, principalmente telefilmes. Apenas o final surpreendeu um pouquinho. O que me chamou a atenção, de fato, foi a capa do DVD. A fotografia da menina me impressionou.

Parabéns pelo blog, gostei bastante, e estou te seguindo!

Abraços!

Rob Seixas

Gustavo H.R. disse...

Não quero me irritar! Apesar de a premissa ser interessante...

Postar um comentário